segunda-feira, 2 de novembro de 2020

Com boas chuvas, safra de mel no Cariri deve ser superior em 50%

 


As boas chuvas deste ano no Ceará beneficiaram a apicultura com expectativa de aumento da safra em 20% em relação a 2019. Enquanto no ano passado, foram geradas 2,7 mil toneladas de mel, a colheita em 2020 deve atingir 3,5 mil toneladas. Na região do Cariri, a média pluviométrica no último período de estação chuvosa foi 38,8% acima do seu normal observado, entre fevereiro e maio. Isso impactou positivamente na florada, que começou em setembro, na Chapada do Araripe, e promete um ganho superior em 50%.

Em Santana do Cariri, maior produtor do Sul do Estado, ano passado a colheita rendeu 176,4 toneladas, que representa 31,93% da produção agrícola do Município, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Porém, os números devem ser ainda maiores, já que a Chapada do Araripe, por causa da boa florada do cipó uva, planta nativa de lá, atrai mais de 100 apicultores migratórios de diferentes estados do Nordeste, como Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Maranhão e Bahia. "O mel é contabilizado nos seus municípios de origem", detalha a supervisora estadual de Estatísticas Agropecuárias do IBGE no Ceará, Regina Feitosa.


Com as boas chuvas, a florada deste ano animou o apicultor Genilson Pinheiro, natural de Catolé do Rocha, na Paraíba, que trabalha neste setor há 35 anos e, destes, 27 anos em Santana do Cariri. No seu caso, sua produção acontece em migração. De setembro a novembro, fica em Santana do Cariri. De lá, segue para o Sul do Piauí, onde inicia a florada do marmeleiro e mato rasteiro do começo da estação chuvosa. Já entre maio e junho, volta para a Paraíba e aproveita a vegetação após o "inverno".

Assim como ele, mais de uma centena também migra para a Chapada do Araripe. No seu caso, carrega entre 800 a 1 mil caixas de abelha. "Aqui, produz o mel considerado o melhor do mundo pelas empresas exportadoras", conta. Este ano, há uma alta no preço e, se comparado ao produzido no Piauí, é mais rentável: R$ 13/kg no Estado vizinho, contra R$ 18/kg no Sul do Ceará. Fonte: Diário do Nordeste/Repórter: Antonio Rodrigues

Nenhum comentário:

Postar um comentário