quarta-feira, 14 de outubro de 2020

Ceará é o Estado do Nordeste a receber mais recursos do PAA


Para garantir a sustentabilidade das pequenas produções familiares, o Ministério da Cidadania, através do Programa Aquisição de Alimentos (PAA), repassou mais R$ 5 milhões ao Ceará. O volume recebido é o maior entre os estados do Nordeste.

O ministro da Cidadania Onyx Lorenzoni assinou o termo de adesão que autoriza o repasse, na manhã de ontem (13), em cerimônia realizada na sede do Banco do Nordeste (BNB), em Fortaleza. Na ocasião, ele justificou a maior expressividade dos recursos destinados ao Ceará pelo número significativo de produtores cadastrados. Com a cifra, 12 mil agricultores terão o escoamento da produção garantido.

O ministro ainda ressaltou o papel solidário que o programa possui ao distribuir os alimentos comprados a famílias em situação de vulnerabilidade social. A ação visa beneficiar 600 mil cearenses com a doação de 15,8 mil toneladas de alimentos em 169 municípios do Estado.

Conforme o superintendente do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) no Ceará, Neto Holanda, o escoamento da produção é o principal gargalo dos produtores familiares devido à irregularidade na capacidade de fornecimento. Ele ainda revela que, com o novo aporte, será possível desenvolver mais a agricultura familiar no Estado. Ao todo, o Ceará já recebeu mais de R$ 51,4 milhões para o Programa Aquisição de Alimentos (PAA) apenas neste ano.

O secretário do Desenvolvimento Agrário do Ceará, De Assis Diniz, esclareceu que o Programa possui duas vertentes de atuação, o PAA Compra com Doação Simultânea e o PAA Leite. Segundo ele, o primeiro irá receber R$ 8,5 milhões para a compra dos mais diversos produtos, que são previamente cadastrados, como pão, queijo, galinha, ovo, verdura, legumes, leguminosas, milho, feijão. Essa ação deve atender a 90 mil famílias.

Já o PAA Leite vai ter um aporte de R$ 24,758 milhões para atender à distribuição diária de leite bovino e caprino em 138 municípios. São 54 mil litros de leite diários, seja através do número do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) ou de Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ). Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário