sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

Campanha da Fraternidade 2020 faz um convite para amar o próximo e valorizar a vida

Irmã Dulce foi a grande inspiração para o tema
da Campanha da Fraternidade 2020
Na globalização da indiferença, que atinge nossa sociedade, qual nosso grau de compaixão e cuidado com o próximo? Tem início nesta Quarta-feira de Cinzas a Campanha da Fraternidade, que nos provoca a olhar para nosso viver a partir do compromisso cristão da caridade e compaixão.

A campanha tem como tema “Fraternidade e Vida: Dom e Compromisso” e o lema tirado da parábola do Bom Samaritano, “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,33-34).

Neste ano, somos convidados através da Campanha da Fraternidade a olhar, de modo mais atento e detalhado, para a vida, refletindo sobre o seu significado mais profundo e em suas diversas dimensões: pessoal, comunitária, social e ecológica. A partir da passagem bíblica do Bom Samaritano, a campanha busca apresentar o sentido da vida proposto por Jesus, a da compaixão, ternura e cuidado, fortalecendo sempre uma Cultura do Encontro.

O texto-base da campanha traz reflexões a partir de três verbos: ver, compadecer-se e cuidar, assim como o bom samaritano fez. No cartaz da campanha, uma ilustração traz a Santa Dulce dos Pobres, brasileira canonizada em outubro de 2019, que fez de sua vida um sinal de esperança para tantos irmãos necessitados.

Este convite é feito a todos, de forma especial também aos jovens. “O tempo quaresmal é um tempo de forte apelo à conversão. A conversão não é apenas um experiência intimista. Na vida de Jesus, o seu relacionamento com Deus se traduzia em gestos concretos de amor e acolhida, especialmente dos mais fracos. Por isso a Campanha da Fraternidade. 

E o tema deste ano é um convite ao jovem para valorizar a própria vida, agradecer pelos dons, pela possibilidade também de ser um promotor da vida. Cada jovem pode olhar ao redor e ir de encontro, com ações bem concretas, de um amigo que depressivo, de uma jovem grávida sem perspectivas, de um viciado… enfim, ser Jesus para esta pessoa: acolher e anunciar a misericordiosa presença de Deus na vida de cada um”, reflete a assessora da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude, Irmã Valéria Andrade Leal. Com informações da CNBB

Nenhum comentário:

Postar um comentário