sexta-feira, 22 de novembro de 2019

Donos de carros-pipa ameaçam paralisação por falta de pagamento

A população da zona rural do Ceará corre o
risco de ficar sem água
A dificuldade ao acesso hídrico no Estado, que se agrava progressivamente, pode piorar, a partir da próxima semana, com uma possível paralisação geral dos chamados pipeiros, profissionais que distribuem água para mais de 190 mil cearenses no interior cearense. 

De acordo com o presidente do Sindicato dos Pipeiros do Estado do Ceará (Sinpece), Everardo Bezerra, a categoria está há três meses (agosto, setembro e outubro) "sem receber dinheiro algum". Conforme explica, "muitos já não têm condições de arcar com os custos básicos, como a compra de óleo diesel".

A categoria vai se reunir, na próxima semana, para deliberar a greve geral. "Se o dinheiro não for pago, ao que tudo indica, a paralisação será efetivada, mas iremos discutir isso em assembleia a ser realizada na cidade de Crateús".

De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), de agosto deste ano até o início de novembro, já foram destinados ao Ceará, para custear a Operação Carro-Pipa, R$ 109,2 milhões. "O valor é limitado. Prova disso é o atraso de meses", acrescenta Bezerra. 

Em nota, o MDR informa que realizou repasse de mais de R$ 50 milhões à Operação Pipa, no último dia 6 de novembro, e que outros dois pedidos financeiros, feitos pelo Exército Brasileiro, aguardam disponibilidade. Um, com data de 11 de outubro, no valor de R$ 18 milhões e o outro, em 8 de novembro, cujo valor ultrapassa R$ 15 milhões. 

Os recursos são destinados ao Exército e, este, por sua vez, repassa aos pipeiros cadastrados. A reportagem questionou se há alguma previsão para que o pagamento seja normalizado.  Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário