quinta-feira, 3 de outubro de 2019

Governador Camilo Santana anuncia pacote de investimentos no setor da Segurança

Governador Camilo Santana durante entrevista ao SVM
O governador Camilo Santana anunciou, nesta quarta-feira (2), em entrevista ao Sistema Verdes Mares, um pacote de investimentos para a Segurança Pública. De acordo com ele, dois novos presídios serão entregues até o fim deste ano, com duas mil vagas. Além disso, o Estado irá adquirir duas novas aeronaves e aumentar o efetivo de policiais militares e civis na Capital e no interior, chamando aprovados em concursos anteriores e ainda realizando novos certames.

As medidas fazem parte de novas estratégias de políticas de segurança aplicadas por Santana, com mais vigor, após a reeleição. O pacote de investimento foi anunciado após o Estado sofrer, no último mês, mais uma série de ataques criminosos – o primeiro foi em janeiro, quando uma onda de violência no Ceará culminou em mais de 200 ações criminosas e 300 prisões. Até o momento, cerca de 150 pessoas foram presas suspeitas de envolvimento nos ataques.

Conforme o governador, os ataques de setembro foram mais uma “tentativa de intimidar o Estado”, para que regalias no sistema prisional sejam concedidas. Medidas mais rigorosas nas detenções, com fiscalizações mais frequentes, apreensão de celulares e fim de visitas íntimas foram implementadas desde o início do ano. Porém, segundo ele, o Governo não irá recuar e esse pacote de investimento reforça o empenho para combater organizações criminosas.

“O Estado tem investido em tecnologia, inteligência. Nunca se prendeu tanto no Ceará, nunca se apreendeu tantas drogas. Nós não vamos ‘arredar’ um milímetro no combate ao crime organizado, nas ruas e dentro do sistema prisional. A possibilidade de regalias é zero. Quem manda é o Estado”, acrescentou.

Atualmente, o sistema penitenciário conta com 9,5 mil vagas e abriga 14,5 mil internos. Além das novas unidades anunciadas, o governador assegurou, ainda, que irá continuar ampliando a capacidade e melhorando as penitenciárias existentes no Estado para reforçar a segurança nas unidades. Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário