sexta-feira, 25 de outubro de 2019

Caducidade de contrato da Transnordestina pode prejudicar o Ceará

Obras da Transnordestina estão em atraso há mais de 3 anos
Uma recomendação da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), publicada na quarta-feira (23) no Diário Oficial da União (DOU), propôs ao Governo Federal a declaração da caducidade do contrato de concessão da Ferrovia Transnordestina Logística S/A (TLSA). Se isso de fato ocorrer, o Ceará pode perder competitividade no transporte de cargas via modal ferroviário e esperar por no mínimo dois anos a retomada das obras da ferrovia.

"É muito ruim para o Ceará. Pelo demora, o Porto do Pecém perde competitividade em relação ao resto do País. Você tem um transbordo muito grande. A ferrovia Norte-Sul foi retomada, então o maior polo de grãos do Brasil, região Centro-Oeste, vai escoar pelo Maranhão e Pará e nós vamos perder três anos que podiam representar um 'boom' na economia cearense", avalia Heitor Studart, presidente da Câmara Setorial de Logística (CSLog).

Além disso, o Estado perderia a prioridade nas obras, uma vez que a intenção da TLSA é retomar as intervenções entre Eliseu Martins (Piauí) e o Porto do Pecém, deixando para depois o trecho entre Salgueiro e o Porto de Suape, em Pernambuco. "Pernambuco está com bastante força política junto à ANTT porque realmente eles (TLSA) deixaram de cumprir várias metas previstas na concessão em função da paralisação e do atraso na obra. 

A posição técnica da ANTT é contrária a essa proposta deles de retomada das obras pelo Ceará". Ele ainda explica que o Governo Federal poderia acatar a recomendação da ANTT. "É uma tendência forte de realmente declarar a caducidade e fazer nova licitação", diz Studart. Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário