segunda-feira, 26 de agosto de 2019

Filme cearense, "Pacarrete", é o grande vencedor do Festival de Gramado

O filme tem como cenário a cidade de Russas-CE
A 47ª edição do Festival de Gramado, tradicional evento do cinema brasileiro, consagrou o filme cearense “Pacarrete”, de Allan Deberton, como o grande vencedor. Entre alguns dos mais importantes prêmios, foram entregues oito kikitos, troféu do evento, à obra: Melhor Filme, Melhor Filme pelo júri popular, Melhor Direção, Melhor Roteiro (Allan Deberton, Natália Maia, Samuel Brasileiro e André Araújo), Melhor Atriz (Marcélia Cartaxo), Melhor Atriz Coadjuvante (Soia Lira), Melhor Ator Coadjuvante (João Miguel) e Melhor Desenho de Som. Em Fortaleza, o filme terá exibição especial na próxima sexta, 6, a partir das 19h30, dentro da programação do Cine Ceará. 

"Pacarrete" é inspirado na história real de Maria Araújo Lima, espécie de “figura folclórica” de Russas, vista como louca por muitos da cidade. No filme, a protagonista é apresentada como uma bailarina incomum que planeja uma grande apresentação de dança para a festa de 200 anos do local, mas enfrenta dificuldades junto ao poder público e à população. Em Gramado, a trama do filme foi vista como representativa do momento pelo qual passa a cultura brasileira.

Momento importante para o cinema cearense
O teor político, inclusive, marcou a passagem do longa pelo evento. No dia da estreia, 20, equipe e elenco aproveitaram o tapete vermelho para protestar mostrando cartazes que apoiavam a continuidade da Agência Nacional do Cinema e a soltura do ex-presidente Lula, entre outras mensagens. O lado político do festival foi tensionado na noite de ontem quando os artistas entravam no local da premiação entoando cantos contra a censura e a favor do cinema e foram surpreendidos por vaias e até pedras de gelo e restos de comida jogados por uma pequena parcela contrária que estava em restaurantes próximos.

O ataque foi repudiado nos discursos de vitória, que também tiveram forte teor de resistência. Vale lembrar que Allan Deberton teve, há pouco mais de uma semana, um projeto de série produzido por ele colocado “no saco” pelo presidente Jair Bolsonaro, que afirmou que não haveria dinheiro público em produções que tratassem de gênero e sexualidade. Trata-se de “Transversais”, série que pretende contar cinco histórias de vida de pessoas trans no Ceará, dirigida por Emerson Maranhão. Ao vencer em Melhor Direção, Allan mencionou o discurso do presidente e, como resposta, beijou o troféu e afirmou que iria fazer a série mesmo assim. “Menos Bolsonaros e mais Pacarretes, por favor”, afirmou em dado momento da noite. Fonte: O Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário