terça-feira, 8 de janeiro de 2019

Projeto de Cajucultura no município de Marco leva melhoria para pequenos produtores

O projeto tem como objetivo a melhoria genética do cajueiro 
Focar no melhoramento genético, no manejo e transferir tecnologia para agregar valor ao caju, por meio dos melhores processos possíveis, é o que pretende o projeto de Cajucultura que atende a 48 famílias, distribuídas em seis comunidades da zona rural de Marco, na região Norte do Estado. 

Em seu segundo ano de instalação, entre outros resultados positivos, o projeto lançou no mercado cearense duas marcas de cajuína e pretende repetir o feito com outra nova marca de bebida de caju, a ser comercializada neste ano, dentro de uma atividade que tem crescido social e economicamente no Município.

Por meio das parcerias consolidadas nos últimos dois anos, a região tem redefinido ações que visam ao desenvolvimento socioeconômico com o aproveitamento do potencial do caju. O foco da Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Marco é o pequeno produtor, peça importante nas atividades realizadas pelo Programa de Desenvolvimento da Cajucultura.

Desenvolvimento
Criado para corrigir, entre diversas outras deficiências encontradas por meio de estudos, o tipo de manejo utilizado, até então, no cultivo da fruta, o programa detectou entraves ao desenvolvimento, como a idade avançada das plantas, em sua maioria gigantes, e sua pouca produtividade, além da forte presença de intermediários (atravessadores), que terminavam por regular o mercado, retendo a maior fatia do lucro.

Projeto
Para Maurício Sousa, consultor do Projeto Intercaju, da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior do Ceará (Secitece), uma das instituições parceiras, "tem sido possível incorporar na região a cultura de recuperação de pomares improdutivos, além de disseminar o conhecimento a respeito da identificação e controle de pragas e doenças, focando em metodologias naturais, utilizando a agroecologia como uma premissa".

Ainda conforme ele, ao estimular a gestão da produção e da propriedade rural, tendo o caju como principal fonte, o Município de Marco, conhecido pela produção de móveis e comercialização de castanha de caju "in natura" passa a agregar novos valores a sua economia.

Na mesma região de Marco, três comunidades também foram contempladas com ações do projeto Intercaju, que leva pesquisa e desenvolvimento para associações de produtores rurais, por meio de cursos, capacitação e oficinas de trabalho, onde o foco é o processamento da castanha de caju para extração da amêndoa. Fonte: DN

Nenhum comentário:

Postar um comentário