quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

Pequenos açudes começaram a sangrar em Pedra Branca com as primeiras chuvas do ano

O pequeno açude do Parque Guarani sangrou
com as chuvas caídas nos últimos dias
As chuvas caídas na última semana na região Central do Estado começaram a atrair a atenção dos moradores de localidades rurais de Pedra Branca. No período das 7h da manhã do último sábado (5) para as 7h do domingo, dia 06, a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) registrou 86 milímetros na sede daquele Município. 

Em algumas localidades rurais foram registradas chuvas acima dos 100 mm em pluviômetros particulares. Foi o caso do Parque Guarani, a cerca de 5 km do Centro da cidade, onde choveu 102 mm. Uma barragem sangrou, atraindo muitos visitantes no fim de semana. O açude já mantinha um volume considerável de água. As chuvas de dezembro também contribuíram.

Noutra localidade, a Cachoeira do Radário, as margens da BR 226, a água também voltou a correr. Mesmo assim o principal açude da região, o Trapiá II, continua com menos de 7% da sua capacidade. Podendo armazenar até 18 milhões de m³, atualmente está com 1,2 milhões de m³, o equivalente a 6,67% do total. Em maio do ano passado chegou a acumular 12,67%, mas de lá para cá, conforme dados da Cogerh, perdeu a metade desse volume.

Açudes públicos
No Ceará, os 155 açudes públicos monitorados pela Cogerh acumulam atualmente 10,6% da capacidade hídrica, 1,97 bilhões de m³. Apenas dois açudes acumulam mais de 90% de água, o Germinal em Palmácia, no Maciço de Baturité, e o Jenipapo no município de Meruoca, na bacia do Acarau.

Outros 103 continuam com volume inferior aos 30%. O Carão, em Tamboril, ainda está seco. Essa também é a situação do Faé (Quixelô), Favelas (Tauá), Quincoé (Acopiara), Monsenhor Tabosa (Quixeramobim), Serafim Dias (Mombaça), Vierão (Boa Viagem), Sousa (Canindé), Nova Floresta (Jaguaribe) e o Potiretama neste Município. Com informações do Blog Diário Sertão Central

Nenhum comentário:

Postar um comentário