terça-feira, 11 de setembro de 2018

Tendência de El Niño em 2019 pode ocasionar em mais um ano de seca no Ceará

A possibilidade de seca em 2019 preocupa autoridades
Os fenômenos naturais podem não ser favoráveis para uma boa quadra chuvosa em 2019. Ainda é cedo para definir uma previsão, mas um dos principais fenômenos que influenciam nas precipitações no Estado, o El Niño, segue presente nos monitores da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). 

Segundo o presidente do órgão estadual, Eduardo Sávio, o cenário se assemelha ao presenciado no ano de 2015. Apesar da afirmação, o gestor aponta que só em janeiro do próximo ano haverá uma confirmação sobre o cenário do Ceará.

Ainda segundo o presidente da Funceme, um dos principais vetores do fenômeno, o Oceano Pacifico, está fracamente aquecido. "A Bacia do Pacífico Equatorial está dentro da normalidade, mas a tendência é de aquecimento. Tivemos cenários parecidos em anos anteriores, como em 2015. Não quer dizer que vai ser igual, se formos olhar a dinâmica dos oceanos e como a atmosfera responde. Nessa condição do El Niño fraco, ela tem uma variabilidade grande em termos de chuvas no Estado. O El Niño fraco não tem resposta definitiva no Norte e Nordeste porque é preciso ainda de uma previsão do Oceano Atlântico, mas só em janeiro saberemos disso".

Índice de chuvas é negativo neste ano
O Ceará pode finalizar o ano de 2018 repetindo a tendência de seca observada nos últimos sete anos no calendário de chuvas do Estado. É o que prevê dados disponíveis no site da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). No balanço geral feito pelo órgão, o percentual parcial de desvio do total acumulado de chuvas aponta índice negativo (16,5%), abaixo da média histórica, de 800.6 mm. Para o índice padrão ser alcançado, é necessário chover 132 mm até o fim do ano. Com informações Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário