quarta-feira, 5 de setembro de 2018

Ouvidoria do Poder Judiciário do Ceará realiza audiência pública em Iguatu

Autoridades solicitaram várias melhorias para o Judiciário
O Tribunal de Justiça do Estado do Ceará, através da Ouvidoria do Poder Judiciário do Estado, realizou uma audiência púbica, na cidade de Iguatu, no auditório do Campus Multi-Institucional Humberto Teixeira que abriga a URCA e UECE. O evento teve início às 08h e finalizou às 11:30h. 

O evento contou com a presença da Desembargadora Maria Iraneide Moura Silva, ouvidora  do Poder Judiciário, além de magistrados da comarca de Iguatu e de outras comarcas, OAB-Subseção de Iguatu, advogados, autoridades da Segurança Pública, representantes da Diocese, Poder Legislativo e Executivo, servidores da Justiça, acadêmicos do Curso de Direito e pessoas da sociedade. 

O objetivo da audiência foi discutir a atual situação em que passa o Judiciário do Ceará, principalmente no que diz respeito a morosidade dos processos que tramitam nos fóruns das comarcas do interior do Estado, o atendimento precário, em função do quadro reduzido de servidores, a estrutura dos equipamentos do Judiciário, melhoria no sistema e-saj e situação prisional nas cadeias públicas do interior. 

Dr. Marco Antonio, presidente da OAB Iguatu fez
importantes cobranças à Ouvidoria do Poder Judiciário
A OAB esteve representada pelo seu presidente da Subseção de Iguatu, Dr. Marco Antonio Sobreira que elencou várias reivindicações e solicitações à Ouvidoria do Poder Judiciário que visam a melhoria no atendimento e eficiência maior na acessibilidade à Justiça bem como melhoria no atendimento aos advogados da comarca de Iguatu e da região. Dr. Marco Antonio aproveitou e cobrou maior celeridade no trâmite de processos cíveis bem como maior efetividade das turmas recursais na comarca. Ele falou também da falta de estrutura adequada para o atendimento dos advogados em alguns fóruns, onde tem municípios com equipamentos sem a devida condição de atender a população, muitas vezes dificultando o trabalho da advocacia.

Advogados também usaram da palavra para falar da falta de condições e precariedade no exercício da advocacia. Servidores da Justiça também aproveitaram o evento para cobrar melhores condições para que eles tenham condições de exercer seus serviços nos fóruns de comarcas da região onde sinalizaram que até material de expediente tem faltado para cumprir as metas de atendimento à população.

De acordo com a ouvidora da Justiça, Dra. Iraneide Moura, todas as solicitações serão encaminhadas ao Tribunal de Justiça do Ceará e serão analisadas para posterior possível solução do que foi apresentado na audiência pública.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário