quarta-feira, 11 de julho de 2018

Cinco açudes voltam a sangrar no Estado do Ceará neste mês de Julho

O Açude Germinal, em Palmácia volta a sangrar 
Pouco mais de um mês após o encerramento da quadra chuvosa deste ano, cinco dos 155 reservatórios monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) voltaram a sangrar. Dois deles estão nas regiões serranas próximas à Capital cearense, o Maranguapinho, em Maranguape; e o Germinal, em Palmácia. Os outros três são o Itapajé; o Jenipapo, em Meruoca; e o Várzea da Volta, em Moraújo, todos na Zona Norte do Estado.

Esses cinco açudes já tinham ultrapassado as cotas máximas neste ano, entre os meses de fevereiro e maio. Atualmente, outros 16 apresentam volume acima de 90%, todavia, a maioria, 84, está abaixo dos 30% da capacidade total, 26 deles em volume morto. O Carão (Tamboril); Faé (Quixelô); Favelas (Tauá); Nova Floresta (Jaguaribe); Serafim Dias (Boa Viagem); e o Sousa (Canindé) permanecemo secos.

O maior açude do Ceará, o Castanhão, está com 7,79% do seu volume. No fim da quadra chuvosa estava com 8,54%. Já o segundo, Orós, armazena 9%, contra 9,58% em de maio; e o terceiro, Banabuiú, 6,84%, chegou a 7,01%. Os 155 acumulam 16,13%, ates eram 17%. Alguns reservatórios voltaram a acumular água pelas precipitações dos últimos dias. Segundo a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), teve chuva em 26 municípios, das 7h de segunda-feira às 7h de ontem, estão relacionadas a um Distúrbio Ondulatório de Leste (DOL), explicou o meteorologista Davi Ferran. As maiores foram em Pacatuba (94.5mm); Maracanaú (91mm); e Caucaia (74mm), todos na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

No Ceará, o DOL deverá continuar provocando nebulosidade variável com chuva no Litoral e no Maciço de Baturité, no Cariri e na região Jaguaribana. Para as demais regiões, há possibilidade de chuva. Esse quadro deve continuar amanhã. Apesar das precipitações dos últimos dias o volume pluviométrico provocado pelo DOL é bem inferior ao da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), principal sistema responsável pela quadra chuvosa do Ceará. Fonte: DN

Nenhum comentário:

Postar um comentário