sexta-feira, 29 de junho de 2018

Sete cidades do Ceará estão entre as 500 mais bem avaliadas do País em índice de desenvolvimento municipal

A cidade de Eusébio foi a mais bem avaliada no Ceará
O Índice da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (FIRJAN) de Desenvolvimento Municipal, com base em dados oficiais de 2016, apontou que o Ceará tem 91,8% de suas cidades com desenvolvimento socioeconômico alto ou moderado. Apesar de somente três cidades terem registrado alto desenvolvimento de forma geral, o Ceará teve crescimento em relação ao ano anterior nas três vertentes analisadas: 63,4% dos municípios avançaram em Emprego e Renda, 65,8% em Educação e 73,4% em Saúde.

Eusébio foi a cidade melhor avaliada do estado (0,8467), com alto desenvolvimento em Saúde e Educação e moderado em Emprego e Renda. Entre as 500 melhor avaliadas no país, sete são cearenses. As demais são, na ordem: Sobral, São Gonçalo do Amarante, Maracanaú, Horizonte, Jijoca de Jericoacoara e Frecheirinha. Todas apresentaram alto desenvolvimento em Saúde e em Educação. Em comparação a 2015, Jijoca de Jericoacoara apresentou o maior avanço no IFDM geral (8,3%) no Top 10 estadual, impulsionado pela vertente de Emprego e Renda.

Das 183 cidades cearenses analisadas, a classificação moderada é predominante, englobando 165 delas (90,2% do total analisado). Somando os municípios com alto desenvolvimento, o percentual de notas superior a 0,6 sobe para 91,8%, superior à média nacional, que é de 76,2%.

Saúde é o quesito em que as cidades cearenses mais se destacam: 97 (52,7%) apresentam alto desenvolvimento. No IFDM Educação, 54 dos municípios (31%) do estado conseguiram alto desenvolvimento, e é a única dentre as três áreas em que não houve cidades com desenvolvimento regular ou baixo. Em Emprego e Renda, apesar de 173 municípios registrarem desempenho regular ou baixo, 116 municípios do estado tiveram um avanço em relação ao ano anterior, sustentados pelo aumento da renda.

O Índice FIRJAN monitora todas as cidades brasileiras e a avaliação varia de 0 a 1, sendo que quanto mais próximo de 1 maior o seu desenvolvimento. Cada uma delas é classificada em uma das quatro categorias do estudo: baixo desenvolvimento (de 0 a 0,4), desenvolvimento regular (0,4 a 0,6), desenvolvimento moderado (de 0,6 a 0,8) e alto desenvolvimento (0,8 a 1).  São acompanhadas as áreas de Emprego e Renda, Saúde e Educação e avaliadas conquistas e desafios socioeconômicos de competência municipal: manutenção de ambiente de negócios propício à geração local de emprego e renda, Educação Infantil e Fundamental, e atenção básica em saúde. O IFDM avaliou 5.471 cidades. As novas, para as quais ainda não há dados, e aquelas com ausência, insuficiência ou inconsistência de informações, não foram analisadas. Fonte: FIRJAN

Nenhum comentário:

Postar um comentário