domingo, 27 de maio de 2018

Produtores de Quixeramobim amargam prejuízos e doam 3 mil litros de leite

Filas para entrega do leite (Foto: Blog Diário Sertão Central)
Um grupo de 25 produtores de leite em Quixeramobim, associados da União de Produtores de Leite do Sertão Central (Unileite) decidiu apoiar a paralisação dos caminhoneiros no Brasil. Eles doaram três mil litros de leite pasteurizado em dois bairros desta cidade do Sertão Central. O ato, de protesto contra a perda diária de aproximadamente 100 mil litros de leite ocorreu neste sábado (26).

Conforme um dos líderes da manifestação, o produtor Karlus Martins, representante da Unileite, a paralisação, apesar de justa, provocou um colapso no escoamento do leite oriundo de Quixeramobim, maior produtor do Estado. As duas maiores indústrias do Ceará, a Betânia e a Maranguape não têm mais onde armazenar o produto. As caixas tetra pak e os insumos necessários para embalar o leite estão presas no caminho. Infelizmente o setor estão amargando um prejuízo milionário.

O secretário de Desenvolvimento Agropecuário, Recursos Hídricos e Meio Ambiente de Quixeramobim, Kolowyskys de Alencar Dantas, participou do ato realizado pela Unileite. Ele confirmou a informação do representante dos produtores. Acrescentou ter recebido informação do diretor da Laticínios Betânia, Bruno Girão, na usina de Morada Nova já estar armazenando 500 mil litros de leite. Não há como receber mais.

Kolowiskys acrescentou que sua Secretaria auxiliou na articulação de parceiros para a manifestação. A indústria Campo Verde colaborou com a pasteurização e ensacamento do leite distribuído no Conjunto Esperança e no bairro Pompeia. Cada morador recebeu dois litros. Filas se formaram nas duas áreas residenciais, mas a espera demorou pouco. O ato também serviu para demonstra a insatisfação dos produtores de leite com as políticas de governo em relação à categoria.

Caso a paralisação, que neste domingo (27) chegou ao seu sétimo dia, continue, além da falta de combustíveis e de perdas para vários setores produtivos rurais como o de laticínios, começará a provocar o desabastecimento de alimentos na região. Não bastasse isso comerciantes oportunistas estão se aproveitado da situação e elevando o preço das mercadorias. Com informações do Blog Diário Sertão Central

Nenhum comentário:

Postar um comentário