sábado, 21 de abril de 2018

Epidemia de bactéria comedora de carne humana intriga médicos na Austrália

A úlcera "come" os tecidos e não se sabe porquê
Casos de úlcera de Buruli, uma doença de pele mais comumente encontrada na África, vem causando preocupação na Austrália. Altamente infecciosa, a bactéria já se espalhou em várias regiões do país, principalmente no estado de Victoria. Os casos da doença aumentaram num total de 400% nos últimos anos, de acordo com os médicos. Já foram gastos mais de 1 milhão de dólares australianos, o equivalente a quase R$ 2,6 milhões, em pesquisas sobre a Buruli.

Em um estudo publicado nessa segunda-feira, 16, no Medical Journal of Australia, os especialistas advertem que o surto da doença, descrito como uma epidemia, requer uma resposta científica urgente. 

A forma como a doença se espalha é desconhecida. A maioria dos casos na África está associada a pessoas que vivem perto de pântanos e outros ambientes aquáticos. Entretanto, na Austrália, os casos estão frequentemente ligados a modos específicos de transmissão, como mosquitos e gambás, segundo o especialista em úlceras de Buruli, o pesquisador Andrés Garchitorena.

Sobre a Úlcera de Buruli
Causada pela bactéria Mycobacterium ulcerans, a Buruli emite toxinas que destroem células e gordura da pele, além de pequenos vasos sanguíneos, levando à formação de úlceras e perda do tecido. Com o passar do tempo, a área infectada vai aumentando de tamanho e pode levar à desfiguração permanente ou incapacidade. A doença, geralmente, afeta os membros, mas também pode ser encontrada no rosto e no corpo. Fonte: O Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário