domingo, 12 de outubro de 2014

Ex-controlador da Segurança do Ceará diz ter sido demitido por pressão política

Santiago Amaral (Foto: divulgação Governo do Estado)
Recém-exonerado do comando da Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública do Estado, o delegado Santiago Amaral Fernandes afirmou ao O POVO que foi demitido por se recusar a instaurar processos contra policiais militares que declararam voto em “candidato de oposição” ao governo Cid Gomes (Pros).

“Agora, com as eleições, vinha sendo pressionado a instaurar processos contra policiais por declararem voto a candidato de oposição. Não admiti isso, o que entendo ser uma verdadeira caça às bruxas. Então, tendo recusado perseguir esses profissionais, acabei recebendo a notícia ontem (quinta) de que estou exonerado do cargo”, escreveu Santiago ao O POVO, sem identificar o candidato em questão. A exoneração foi publicada na edição de ontem do Diário Oficial do Estado.

Santiago assumiu em 2011 a função de controlador-geral adjunto da CGD. Com a saída do então controlador-geral, Servilho Paiva, para assumir a Secretária da Segurança, em setembro de 2013, Santiago ascendeu à chefia da CGD, órgão que apura a responsabilidade disciplinar dos servidores da polícia judiciária, de policiais militares, bombeiros e agentes penitenciários.

“Infelizmente, esse episódio mostra que a CGD não é um projeto pronto e acabado. Ainda tem um longo caminho a percorrer pra se tornar uma secretaria de estado com atuação institucional, isenta de interferências”, acrescentou o delegado.

“Deixo o cargo com a consciência de quem cumpriu a missão com zelo, coragem e responsabilidade, sem favorecer indevidamente, e nem perseguir ninguém. Empenhei-me ao máximo em ser o mais imparcial e justo possível nas decisões”. Fonte: O Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário