segunda-feira, 21 de julho de 2014

Mais de mil empresas são fechadas neste mês de junho no Ceará

A taxa de extinção de empresas aumentou, no Ceará, no mês de junho. De acordo com o Índice Mensal do Comércio (IMC), divulgado ontem pela Junta Comercial do Estado do Ceará (Jucec), houve um aumento de 17,8% no número de empresas fechadas no sexto mês do ano, na comparação com igual mês do ano passado.

Conforme o índice, pelo menos 1.128 estabelecimentos foram fechados no mês anterior, contra 957 extinções, em junho, de 2013. A maior proporção ocorreu no tipo jurídico microempreendedor individual, com 675 empresas extintas no mês anterior, frente a 463 fechamentos em junho do ano passado, correspondendo ao aumento de 45,78%.

"Essas extinções estão ocorrendo, gradativamente, por se tratarem de transformações. Os empresários individuais estão passando a ser empresa individual de responsabilidade limitada (EIRELI), pois nesse tipo as vantagens são maiores, assim como os benefícios", explica Ricardo Lopes, Presidente da Jucec.

Ainda segundo a pesquisa, no acumulado dos últimos 12, meses houve extinção de 13.694 estabelecimentos. Deste total, 12.284 eram empresariais, 1.410 sociedade e 8 mil empreendedor individual.

Novos negócios

O levantamento também revela que a constituição de empresas registrou redução de 8,85%, com 1.154 estabelecimentos abertos em junho de 2014, frente os 1.266 em igual período no ano passado. Enquanto isso, no acumulado dos últimos 12 meses, 15.705 empresas foram abertas em todo o Estado.

Os novos negócios do tipo jurídico sociedade sofreu a maior redução. Em junho, foram abertas apenas 471 estabelecimentos, ante 552 constituições em igual período do ano passado.

Para o presidente da entidade, o número de empresas abertas, em junho, poderia ter sido maior, caso não houvesse a Copa do Mundo. "Empresas deixaram de ser constituídas por conta do período do Mundial de futebol", acrescenta Ricardo Lopes. Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário